Uma breve história do Anarquismo – Parte 1: origem

O Anarquismo é, historicamente, uma das ideologias de esquerda mais importantes da história e, talvez, a mais difamada, distorcida e perseguida

Publicado em 20 de setembro de 2021

Bandeira anarquista (Reprodução/Desconhecido)
Por Arthur Castro, colunista do J2

O Anarquismo é, historicamente, uma das ideologias de esquerda mais importantes da história e, talvez, a mais difamada, distorcida e perseguida. Minha intenção, com essa série de cinco textos, é contribuir um pouco para desmistificar o que é contado sobre essa doutrina política e jogar um pouco de luz sobre o assunto.

Antes de mais nada, é preciso dar o “papo reto”: o anarquismo é um tipo de Socialismo, de extrema esquerda, que defende uma transformação revolucionária da sociedade. O que é isso na prática?


Socialistas anarquistas querem o fim de todos os sistemas de dominação social, onde um grupo de pessoas impõe sua vontade sobre outros grupos de pessoas. Ao invés disso, defendem uma sociedade baseada na democracia direta: todas as pessoas podem discutir, debater e decidir por consenso ou voto da maioria.

Se isso parece absurdo, se prepare: anarquistas não só foram, por muitos anos, a maior força socialista mundial, como tiveram suas próprias revoluções. Nas próximas linhas, pretendo contar um pouco sobre o surgimento dessa ideologia, como primeira parte de uma série em seis partes.

Todas as fontes podem ser encontradas nos artigos, dissertações, teses e textos disponíveis gratuitamente no Instituto de Teoria e História Anarquista (ITHA). Entre no site e aproveite o conteúdo.

Um mundo de cabeça para baixo

Tudo começou na Idade Moderna (século 16 a 18). O mundo passava por grandes mudanças na política, na economia e na cultura. E foram essas mudanças que prepararam o caminho para o nascimento do Anarquismo.

Vamos começar olhando para um pequeno pedaço de terra que se chama Europa (essa história vai se espalhar para o mundo inteiro mais para frente). Depois de séculos de controle religioso da Igreja Católica, o Papa via seu poder diminuir. Primeiro veio a Reforma Protestante, que criou várias novas interpretações do cristianismo, enfraquecendo o domínio católico. Mas a maior e mais profunda mudança de pensamento foi iniciada pelo Renascimento e, continuada, pelo Iluminismo.

Basicamente, a religião estava deixando de explicar tudo. Físicos, químicos e biólogos mostravam que era possível entender o mundo sem precisar de explicações espirituais, e isso não era a mesma coisa que ateísmo (alguns eram ateus, a maioria acreditava em Deus). Isso irritou e muito a Igreja, que tentou, sem sucesso, abafar as descobertas com a Santa Inquisição (a famosa arte de mandar para a fogueira).

Quando o mundo passou a ser explicado pela razão, deixou de fazer sentido para muitas pessoas a existência de reis e nobres. Começou, assim, uma época de revoluções. A primeira de todas ocorreu na Inglaterra (1688), e quase 100 anos depois os Estados Unidos (1776) e a França (1789) também fizeram. Não parou na Europa. Na mesma inspiração, o Haiti protagonizou uma revolução do povo negro contra a escravidão e o colonialismo francês, e pouco depois a América Latina como um todo se libertou do controle de Portugal e Espanha.

“Revolução” é uma palavra que significa uma mudança muito rápida. No caso acima, as revoluções políticas significaram uma mudança rápida de sistemas monárquicos absolutistas (o rei manda em tudo) para sistemas parlamentares e republicanos (políticos eleitos). Não foi simples e não foi do dia para noite – tiveram guerras civis, guerras entre países, caiu rei, voltou rei, caiu rei de novo, golpe de Estado, golpe dentro do golpe. Mas no fim, os antigos donos da Europa – a nobreza, os senhores feudais e os reis – foram derrubados.

Mas nem toda revolução acontece na política – esse foi o caso da Revolução Industrial. Até então, a maior parte da Europa era rural, baseada em camponeses trabalhando para nobres donos de terras. Algumas poucas cidades eram organizadas em torno da manufatura e do comércio (pessoal fazia as coisas na mão mesmo e vendia), até que começaram a surgir as primeiras indústrias com máquina à vapor.

O surgimento da fabrica e da produção de larga escala virou o mundo inteiro de cabeça para baixo. O impacto começou na própria Europa, de três formas: (l) os pequenos comerciantes não conseguiam competir com as grandes indústrias e foram à falência; (ll) em vários países, os ricos conseguiram aprovar leis que retiravam o direito das famílias camponesas sobre a terra e as concentravam nas mãos dos próprios ricos; (lll) os donos dos negócios começaram a mandar na política e na cultura.

Toda aquela mudança de pensamento, todas aquelas transformações políticas, que haviam mobilizado milhões de pessoas em diversos países na busca pelos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, tudo passou a ser comandado por uma nova classe social: a Burguesia. Vamos entender a diferença. No passado, a maioria das terras eram propriedade da nobreza de sangue azul e o governo pertencia ao rei, tudo isso pela vontade de Deus. Agora, os governos poderiam ter ou não reis simbólicos (função decorativa), mas o verdadeiro poder pertencia à burguesia porque ela tinha a propriedade privada e a maior parte dos cargos políticos. Assim surgiu o Capitalismo, um sistema social que divide todas as pessoas em duas classes: a própria burguesia, dona da propriedade, e o proletariado, que só tem como opção trabalhar por salário. Patrões e trabalhadores/as.

Radicalizando a esquerda

A classe burguesa não havia feito essas revoluções sozinha, mas agora excluía a maior parte da população dos ganhos sociais. O voto era censitário (para ricos), masculino (para homens) e branco (nos Estados Unidos ainda existiam escravizados). Mas a época revolucionária não poderia ser parada. Nas Américas acumulava força o movimento abolicionista, que exigia o fim da escravidão, e não demorou muito para o feminismo ganhar corpo e garantir importantes conquistas para as mulheres. Em meio a todos esses conflitos sociais, no século 19, a Europa estava dividida em quatro “facções”.

Na extrema direita estavam os reacionários, ligados às famílias aristocráticas e ao clero religioso, e que queriam fazer o mundo voltar ao passado feudal e monárquico. Mais moderados eram os conservadores, setores burgueses que desconfiavam da participação popular e desejavam governos de ricos para ricos.

Na esquerda haviam os republicanos, uma parte progressista da burguesia, apoiadora do sufrágio universal (todo mundo votando) e simpática a alguns direitos sociais. Por fim, vinha nascendo o Socialismo, uma diversidade de ideologias políticas que defendiam o fim da desigualdade econômica e a construção de um mundo onde não existisse pobreza, fome e opressão.

Os primeiros socialistas não defendiam novas revoluções, mas mudanças pacíficas, que ocorreriam por meio de uma evolução no pensamento humano. Isso poderia se dar de várias formas, como criação de redes de apoio mútuo, comunidades alternativas igualitárias, entre outras. Dois nomes, entretanto, se destacaram no estabelecimento de uma esquerda socialista mais revolucionária: Pierre-Joseph Proudhon e Karl Marx.

O francês Proudhon, conhecido pelas obras O Que é Propriedade? e A Filosofia da Miséria, foi o fundador da doutrina política conhecida como mutualismo. Economicamente, ele defendeu uma estratégia baseada em cooperativas organizadas pela classe trabalhadora que rivalizariam, disputariam o mercado contra as empresas capitalistas. Isso significa que o mercado e o comércio continuariam a ser a base da sociedade, mas sem a figura do patrão.

Politicamente, Proudhon defendia o federalismo: a substituição do governo centralizado, o Estado, por uma democracia direta.

É preciso aqui diferenciar democracia representativa e delegação. No primeiro caso, políticos são eleitos por um mandato fixo, e durante esse período podem governar como bem quiserem; no segundo caso, delegados devem apenas transmitir decisões tomadas pela base que o indicou, e a qualquer momento podem ter seu mandato revogado.

Imaginemos da seguinte forma: cada bairro da cidade possui uma assembleia popular, na qual todos os moradores debatem e votam. Então, o delegado eleito daquele bairro se reúne com outros delegados (de outros bairros) e apresenta o que sua base votou. Se em algum momento sua atuação desagradar, o bairro, em assembleia, pode substituí-lo por outra pessoa.

Com propostas diferentes, o jornalista alemão Karl Marx vinha crescendo em popularidade com livros como A Ideologia Alemã, O Manifesto Comunista e, muito tempo depois, O Capital. Ao contrário do programa proudhoniano, o principal nome do comunismo defendia uma economia totalmente socializada sob controle da classe trabalhadora: não bastava não existirem patrões, era preciso superar a lógica de mercado.

Politicamente, Marx acreditava que, em um grau ou outro, a centralização política era necessária. Não rejeitava totalmente o debate sobre delegação, mas não a via como algo obrigatório, pois a estrutura hierárquica estatal poderia cumprir papéis importantes.

Dessa forma, as teorias proudhoniana e marxista, ainda que divergentes, teriam um grande efeito sobre um jovem revolucionário russo chamado Mikhail Bakunin.

Um Socialismo Federalista

Mikhail Bakunin era um jovem militar russo de origem nobre que, após se interessar por filosofia, foi estudar na Alemanha. No ano de 1848, se envolveu com a Primavera dos Povos: uma série de revoluções contra os reis de toda a Europa. Acabou preso e trancafiado por mais de 10 anos nas masmorras do Império Russo.

Após uma fuga mirabolante, com passadas pelo Japão e pelos Estados Unidos, Bakunin, finalmente livre, se juntou à organização conhecida como Liga da Paz. Era um grupo de burgueses progressistas e intelectuais liberais reunidos para criticar as guerras entre nações. Inicialmente esperançoso de que poderia surgir algo dali, logo se desiludiu, abandonando o grupo enquanto defendia um projeto socialista revolucionário.

Mikhail Bakunin já havia conhecido pessoalmente tanto Proudhon quanto Marx, e admirava ambos. Do primeiro, incorporou sua defesa da descentralização política, e do segundo, a proposta de uma revolução socialista e o controle social da economia. Assim, junto com um grupo de militantes, Bakunin participou da fundação da Aliança da Democracia Socialista.

Para os membros da Aliança, ou aliancistas, as classes populares – independente de cor, nacionalidade ou sexo – deveriam ser mobilizadas para um projeto revolucionário que destruísse três dominações sociais: (l) a dominação econômica, da classe capitalista, e sua substituição pelo socialismo; (ll) a dominação política, da burocracia estatal, e sua substituição pelo federalismo; (lll) a dominação cultural, do clero religioso, e sua substituição pela educação científica e racionalista.

E qual seria a estratégia para preparar essa Revolução? O dualismo organizacional. Para explicar esse pensamento, vou usar exemplos atuais, e depois voltar para o século 19.

Um sindicato é uma organização que representa um setor da classe trabalhadora. O sindicato dos bancários representa os bancários, o sindicato dos servidores municipais representa os servidores municipais, o sindicato dos professores estaduais representa os professores estaduais, etc. Para um sindicato ser forte, ele precisa do máximo de trabalhadores filiados e, principalmente, atuantes. Se o sindicato disser “só filio pessoas do Partido x ou da ideologia y”, esse sindicato provavelmente vai enfraquecer. Por isso, o sindicato deve ter uma filiação ampla e geral.

Mas o sindicato sozinho nunca irá construir uma revolução. Não é nem esse seu papel. Ele pode organizar a classe trabalhadora, fazer greve, conquistar direitos, e ponto final. Querer que um sindicato, com uma diversidade ideológica, caminhe automaticamente para o Socialismo seria sonhar demais. É preciso que os revolucionários tenham sua própria organização para influenciar os rumos do sindicato.

Se o sindicato é amplo, a organização anarquista deve ser restrita. Para entrar, o filiado, em primeiro lugar, precisa ser anarquista, ou seja, estar de acordo com programas políticos, estratégias e teorias definidas. O militante anarquista, organizado com outros anarquistas, deve atuar no sindicato, não para impor sua ideologia (o que racharia o sindicato), mas para influenciar sua luta para os rumos revolucionários.

Para Mikhail Bakunin, a organização anarquista era a Aliança da Democracia Socialista, e o sindicato era a Associação Internacional dos Trabalhadores.

A Associação Internacional dos Trabalhadores

Fundada em 1865, a AIT ou apenas Internacional era composta por uma diversidade de organizações trabalhistas de diversos países. Entre seus membros haviam pessoas de várias ideologias, incluindo mutualistas proudhonianos, comunistas marxistas, sindicalistas moderados, republicanos, entre outros.

Os seguidores de Proudhon, que já havia falecido, defendiam posições moderadas, desconfiavam da revolução e nem mesmo concordavam com direitos trabalhistas. Em 1868, os membros da Aliança entraram para a Internacional, e se juntam aos marxistas contra os mutualistas, que foram derrotados. Mas logo depois, uma divergência interna começou a crescer.

A disputa entre Karl Marx, de um lado, e Mikhail Bakunin, de outro, vai girar em torno de quatro temas principais.

Em primeiro lugar, o assunto mais conhecido, era sobre o papel do Estado. Para Bakunin, a máquina estatal era uma instituição hierarquizada, baseada na dominação de burocratas sobre a população, e deveria ser destruída por uma revolução. Para Marx, o Estado era uma ferramenta que poderia ser usada para garantir avanços para a causa da classe trabalhadora; dependendo do país, o socialismo até mesmo poderia ser implantado pelo voto de modo pacífico.

Isso necessariamente levaria ao segundo conflito. Como já explicado, a Aliança defendia a Associação Internacional dos Trabalhadores deveria se manter como um grande sindicato para toda a classe trabalhadora, independente de ideologias. Para Marx, a Internacional deveria se transformar em um partido político, seguindo o projeto do Manifesto Comunista, e lançando candidatos nas eleições.

O terceiro debate envolvia a “classe revolucionária”. Para Bakunin, qualquer setor oprimido poderia ser revolucionário: o proletariado (trabalhadores assalariados), o campesinato (agricultura familiar) e o “lumpenproletariado” (marginalizados, como moradores de rua, prostitutas, pessoas cooptadas pelo crime, etc) eram importantes para a transformação social e deveriam ser atraídos para um projeto radical. Para Marx, o contexto histórico havia colocado apenas a classe proletária como central, e a participação ou não do restante da sociedade era secundária.

Por fim, Bakunin acreditava que todo povo e toda nação, mesmo as menores, tinham direito à autodeterminação. Nenhum país poderia controlar o outro. Para Marx, isso também era relativo: apesar de ter defendido a luta irlandesa contra a dominação inglesa, viu com bons olhos a colonização da Índia pela Inglaterra como forma de gerar desenvolvimento. Engels, aliado e amigo de Marx, chamou os mexicanos de “preguiçosos” e elogiou a atitude dos Estados Unidos de ter conquistado, pela guerra, territórios do México.

A polarização entre federalistas e centralistas dividiu a Internacional, com ampla vantagem para o primeiro grupo. A tentativa de Marx de impor a transformação da AIT em um partido acabou por virar a maior parte dos membros contra ele. A Aliança era influente na Suíça, na Espanha, na Itália e na França.

Então, em 1871, ocorreu a Comuna de Paris, quando a população assumiu o controle da capital francesa. A influência anarquista era notável através da participação de militantes como Louis Varlin e os irmãos Élie e Élisée Reclus, bem como a implantação de um sistema político federalista. Mas a repressão logo veio, e o resultado foi mais ou menos 30 mil mortos e outros tantos presos. O governo francês endureceu contra qualquer atividade socialista.

Vendo uma oportunidade, Marx, que mantinha cargo de dirigente da AIT, convocou o próximo Congresso da entidade em Haia, Holanda. Quando olhamos para o mapa, é fácil entender a manobra: todos os países com maioria federalista e alinhados com a Aliança precisariam atravessar a França para participar. Não haviam viagens de avião e os delegados que tentassem atravessar terras francesas estariam com suas vidas em risco.

Assim, através dessa articulação, Karl Marx conseguiu a maioria dos votos para aprovar a expulsão de Mikhail Bakunin e James Guillaume, outro aliancista, da AIT. Em resposta, mais da metade da organização anunciou rompimento. Foi o fim da Primeira Internacional.

As cinco ondas

Nas próximas partes, abordarei o desenvolvimento histórico do Anarquismo ao longo de cinco ondas, conforme as pesquisas historiográficas mais recentes vem apontando. A primeira onda (1868-1894) envolveu a expansão da ideologia anarquista por todo o globo, em especial pela estratégia sindical; a segunda onda (1895-1923) foi marcada pela forte atuação do sindicalismo revolucionário no “Terceiro Mundo” e por duas revoluções com influência anarquista; a terceira onda (1924-1949) se destacou pela resistência internacional ao fascismo; a quarta onda (1950-1989) viveu um enfraquecimento das ideias libertárias diante de ditaduras de direita e de “esquerda”; por fim, a quinta onda (1990 em diante) se firmou na oposição ao neoliberalismo e ao capitalismo globalizado.

A história do Anarquismo é uma história recheada de vitórias e derrotas, de mulheres e homens que enfrentaram as poderosas estruturas de dominação do Estado e do Capital. Muita dessa participação foi apagada por outras forças políticas, mas graças à força de vontade de inúmeros pesquisadores e militantes, esses acontecimentos vão sendo descobertos e trazidos à luz do dia.

“…podem estar certos de que o trabalho não será perdido — nada se perde neste mundo — e as gotas de água, por serem invisíveis, nem por isso deixam de formar o oceano.” – BAKUNIN, Mikhail. Carta a Elisée Reclus (15/02/1875)

*Arthur Castro é professor de História e integrante da Organização Anarquista Socialismo Libertário (OASL).

 

As colunas são um espaço de opinião. Posições e argumentos expressos neste espaço não necessariamente refletem o ponto de vista do Jornal Dois.
Acredita no nosso trabalho?         
Precisamos do seu apoio para seguir firme.    
Contribua  a partir de 10 reais por mês. 

Comments

  1. I enjoy you because of all of your effort on this site. Gloria take interest in managing internet research and it’s easy to understand why. We all notice all regarding the powerful method you deliver very important secrets through your web site and as well inspire response from others on the theme and our own daughter is truly understanding a great deal. Take advantage of the rest of the new year. Your conducting a useful job.

  2. I simply had to say thanks once again. I’m not certain the things that I could possibly have followed in the absence of the actual strategies documented by you concerning this question. Entirely was the difficult matter for me, however , discovering the skilled style you resolved it forced me to cry over fulfillment. Now i am happier for this information and as well , hope that you really know what a powerful job you are carrying out instructing the others via your blog. I’m certain you have never come across all of us.

  3. I not to mention my buddies appeared to be analyzing the excellent secrets located on your web site while instantly I had a horrible feeling I had not thanked the web blog owner for those secrets. All the people became for this reason glad to study them and have simply been using them. We appreciate you being quite thoughtful and also for settling on this form of wonderful useful guides millions of individuals are really desperate to be informed on. My very own sincere apologies for not saying thanks to sooner.

  4. Thank you so much for providing individuals with such a memorable possiblity to check tips from this website. It’s usually so pleasurable and also stuffed with amusement for me personally and my office colleagues to visit your site not less than 3 times weekly to learn the new tips you have got. And definitely, I’m just certainly contented with all the stunning hints served by you. Some 1 facts on this page are certainly the best we have all had.

  5. I precisely needed to thank you so much once more. I am not sure the things that I could possibly have handled without the entire basics shared by you directly on this topic. It became the frightening difficulty in my view, but spending time with this expert approach you handled that made me to leap for contentment. I will be thankful for this support as well as wish you really know what an amazing job that you’re accomplishing educating the rest thru your web blog. I’m certain you haven’t got to know any of us.

  6. I wanted to jot down a small comment to express gratitude to you for some of the superb solutions you are sharing on this website. My long internet research has at the end of the day been compensated with reliable tips to share with my visitors. I ‘d suppose that many of us readers actually are quite blessed to live in a magnificent place with very many lovely professionals with useful things. I feel truly lucky to have used your entire web site and look forward to many more thrilling moments reading here. Thanks once more for all the details.

  7. Thanks for each of your hard work on this blog. My aunt really likes engaging in research and it’s really easy to understand why. Most people hear all about the powerful method you provide powerful guidelines via your web site and even encourage participation from other individuals on that theme while our own princess is actually learning so much. Enjoy the remaining portion of the new year. You are always doing a fabulous job.

  8. I simply needed to appreciate you once more. I’m not certain the things that I would have handled in the absence of the actual creative concepts contributed by you regarding this concern. It was an absolute frightful condition for me personally, but noticing the expert form you dealt with the issue forced me to leap with happiness. Now i’m thankful for your guidance and as well , wish you are aware of an amazing job that you’re putting in instructing other individuals by way of your blog. Probably you’ve never got to know any of us.

  9. I and also my pals were found to be reading the good strategies from the blog then instantly I had a horrible suspicion I had not expressed respect to the blog owner for those secrets. The women had been so joyful to see them and already have sincerely been using those things. Appreciation for truly being considerably thoughtful and for using this sort of exceptional information millions of individuals are really wanting to be informed on. Our honest regret for not saying thanks to earlier.

  10. Thank you a lot for providing individuals with remarkably pleasant chance to read from this web site. It’s always very brilliant and as well , stuffed with a lot of fun for me and my office co-workers to search your website at minimum thrice a week to find out the fresh secrets you have got. And lastly, I’m so always impressed concerning the surprising tricks you serve. Certain 1 facts in this article are essentially the most effective I have had.

  11. I and also my buddies have been analyzing the excellent points found on your site and so unexpectedly came up with a terrible suspicion I never thanked the web blog owner for those techniques. Those people came as a consequence joyful to see them and have now sincerely been enjoying these things. Thank you for really being well helpful and for selecting these kinds of high-quality tips millions of individuals are really eager to learn about. My personal sincere apologies for not expressing gratitude to you sooner.

  12. I would like to express some thanks to you for bailing me out of this particular challenge. Because of looking out throughout the world wide web and meeting notions which were not beneficial, I was thinking my life was well over. Living without the answers to the issues you have solved through the website is a serious case, and the kind which might have negatively affected my career if I had not noticed your blog post. The natural talent and kindness in dealing with all the things was very helpful. I am not sure what I would’ve done if I had not come across such a step like this. I can also now relish my future. Thanks for your time very much for the specialized and effective help. I won’t be reluctant to endorse your site to anybody who would like care about this issue.

  13. My wife and i felt very happy that John managed to round up his survey with the precious recommendations he came across using your web pages. It’s not at all simplistic to simply happen to be offering information and facts which often some other people could have been selling. And we all recognize we now have you to appreciate for that. All the explanations you’ve made, the simple website menu, the relationships you assist to engender – it’s many impressive, and it’s assisting our son and our family reckon that this matter is enjoyable, and that is really vital. Thanks for all!

  14. I’m also writing to make you be aware of of the amazing discovery my cousin’s daughter encountered visiting your web site. She came to understand lots of details, which include how it is like to have a marvelous helping nature to have the others clearly have an understanding of several very confusing topics. You undoubtedly surpassed people’s desires. Many thanks for giving the important, trusted, educational as well as fun thoughts on the topic to Tanya.

  15. Thanks so much for giving everyone an exceptionally wonderful chance to read from this site. It is often very brilliant and also jam-packed with fun for me and my office colleagues to visit your website the equivalent of thrice every week to find out the newest things you have got. Of course, I’m at all times satisfied for the exceptional creative concepts you give. Some 1 ideas in this posting are without a doubt the most beneficial we have ever had.

  16. Thank you for each of your effort on this blog. Betty really likes carrying out research and it’s easy to see why. My spouse and i know all about the lively ways you provide very helpful information by means of this website and even encourage contribution from the others on that subject and our own princess has been starting to learn so much. Have fun with the remaining portion of the new year. You have been conducting a tremendous job.

  17. I happen to be writing to make you be aware of of the wonderful experience my friend’s girl encountered reading through yuor web blog. She noticed some details, most notably how it is like to possess a great coaching character to get most people completely grasp selected tricky subject matter. You really did more than people’s desires. Thanks for providing these necessary, safe, edifying as well as unique tips about this topic to Evelyn.

  18. I want to get across my respect for your kindness supporting those who really want guidance on this one subject. Your special commitment to getting the message all over turned out to be remarkably practical and has continually encouraged professionals like me to get to their dreams. Your useful tutorial signifies much a person like me and far more to my colleagues. Best wishes; from all of us.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.