Prefeita de Bauru inaugura igreja na pandemia e ora por doentes na UTI

Cerca de 120 lugares disponíveis, reserva antecipada e culto de Suéllen Rosim marcaram a abertura da Igreja Ministério Produtores de Esperança, da família da prefeita

Publicado em 22 de fevereiro de 2021

Suéllen Rosim é cantora de música gospel e tem carreira de pelo menos 25 anos dentro de templos evangélicos (Foto: Paula Betteli/Jornal Dois)
Por Camila Araujo e Paula Bettelli
Edição Bibiana Garrido

“Sejam todos bem-vindos: se você é cristão, evangélico ou se faz parte da imprensa”, disse Lúcia Rosim, mãe da prefeita de Bauru Suéllen Rosim, bispa e presidente do Fundo Social de Solidariedade do município, no início do primeiro culto de inauguração da Igreja Ministério Internacional Produtores de Esperança. O evento começou às 18h de sábado, 20, e para ingressar no local era necessário fazer reserva antecipada. O Jornal Dois esteve presente e acompanhou a cerimônia.

MIPE é a igreja evangélica da família de Suéllen Rosim (Patriota). Cerca de 120 lugares estavam disponíveis, e as cadeiras foram distribuídas da seguinte maneira: a cada assento ocupado, dois estavam interditados.

Na entrada da igreja, um galpão no bairro Jardim Contorno, uma mulher segurava uma prancheta para ver se o ou a ingressante tinha nome na lista. Duas crianças mediam a temperatura e espirravam álcool líquido na mão de quem entrava para assistir ao culto. Todos dentro do templo estavam de máscara, exceto quando alguém falava ou cantava ao microfone.

Em frente ao prédio, dois policiais acompanhavam o movimento junto a uma viatura da Polícia Militar (PM). Segundo informou a PM ao J2 por telefone, eventos na cidade podem contar com esse tipo de serviço de segurança, mediante solicitação por ofício.

Um segundo culto aconteceu às 20h.

Evangélica e Patriota

Em cima do palco da igreja, um telão mostrava imagens da família Rosim e de outras unidades da igreja, sediadas em Araçatuba e Birigui. Ao longo do culto, foram exibidos trechos bíblicos para que os presentes pudessem acompanhar.

O pastor Dozimar Rosim foi o primeiro a falar na inauguração. Candidato a vereador de Birigui nas Eleições Municipais 2020, é filiado ao mesmo partido da filha, o Patriota.

A prefeita de Bauru Suéllen cantou e ministrou um culto, acompanhada de sua irmã, Taynara Rosim, no vocal e nos teclados, e seu cunhado, Walmir Braga, na bateria da banda gospel. Este último é coordenador regional do Patriota. Patric Teixeira, chefe do gabinete da prefeitura, esteve presente entre os fiéis.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Bispa Lúcia Rosim (@bispaluciarosim)

Como lembrou a própria prefeita em postagem nas redes sociais e no culto, a carreira gospel vem de longa data em dupla com a irmã. As duas cantam juntas e lançaram seu primeiro álbum em 2001.

Médico dos médicos

Na passagem bíblica de João, capítulo cinco, o apóstolo conta a história de um tanque em Jerusalém famoso por curar os “doentes e inválidos”.

“Há em Jerusalém, perto da porta das Ovelhas, um tanque que, em aramaico, é chamado Betesda, tendo cinco entradas em volta. Ali costumava ficar grande número de pessoas doentes e inválidas: cegos, mancos e paralíticos. Eles esperavam um movimento nas águas. De vez em quando descia um anjo do Senhor e agitava as águas. O primeiro que entrasse no tanque, depois de agitadas as águas, era curado de qualquer doença que tivesse”.

O texto, nos versículos que se seguem, fala sobre o paralítico de Betesda, um homem que tinha paralisia há 38 anos e não conhecia ninguém que pudesse ajudá-lo a entrar no tanque para ser curado. Essa passagem está nos versículos seis e sete.

“Quando o viu deitado e soube que ele vivia naquele estado durante tanto tempo, Jesus lhe perguntou: ‘Você quer ser curado?’ Disse o paralítico: ‘Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada. Enquanto estou tentando entrar, outro chega antes de mim’.”

Bispa Lúcia lembrou as passagens acima em sua palavra, e ressaltou que o fato bíblico ocorreu em um sábado, mesmo dia em que se celebrava aquele culto. Lúcia pontuou, segundo sua interpretação, que a passagem do paralítico de Betesda fala sobre a falta de solidariedade das pessoas daquele contexto, que não ajudaram o homem paralisado a entrar no tanque. “Ele teve que esperar 38 anos pela cura através do filho de Deus”, disse. A bispa contou que “teve uma hora que a medicina não pôde fazer mais nada por mim, mas quem fez foi o médico dos médicos: Jesus”.

“Visita quem está na UTI, senhor”

Lúcia então pediu que os fiéis se virassem de costas em direção a porta da igreja e estendessem as mãos para o céu. Nesse momento, ela fez uma pregação pelos doentes em leitos de UTI. “Ele vai sarar a terra, somos sacerdotes, o povo escolhido e separado para fazer a diferença nessa geração”, afirmou. Rezou, “em nome de Jesus”, para que Deus olhasse para as mãos estendidas e visitasse os leitos dos hospitais “agora”.

“Nós sabemos que estamos no meio de uma pandemia, mas o Senhor é dono de todas as coisas e o poder está em tuas mãos”. O teclado de Taynara acompanhava, de música de fundo, as palavras da mãe, aumentando a nuance conforme a pastora intensificava o tom de sua voz no discurso. Veja vídeo:

A cidade está com 100% dos leitos covid-19 ocupados e registra 403 óbitos. Na região da Divisão Regional de Saúde de Bauru, 103% dos leitos estão sendo utilizados. Significa que quatro leitos UTI de outras especialidades médicas estão sendo usados para tratar pessoas contaminadas com o novo coronavírus.

Perto do fim do culto, a energia elétrica caiu de forma abrupta – no meio da pregação de Lúcia. As luzes se apagaram, a música de fundo foi interrompida. Sem o microfone, a pastora chamou: “quem crê diga amém!”

Falta de maturidade

Circula nas redes sociais um vídeo da prefeita Suéllen Rosim cantando dentro de uma outra igreja. O culto aconteceu na quinta-feira, 18, e juntou fiéis em aglomeração. Em resposta a uma reportagem que apontou o fato, a chefe do Executivo se posicionou: “um culto normal, dentro de uma igreja, considerada essencial. Aliás, tudo deveria ser essencial em quase um ano de pandemia. Distanciamento, uso obrigatório de máscara, controle de entrada”.

Na MIPE, Suéllen opinou “as críticas, pra mim, é Deus trabalhando”, fazendo menção a “você que está filmando para postar na internet”. Para ela, o comportamento de divulgar esse tipo de vídeo nas redes é falta de maturidade. E completa: “você ainda não chegou, mas vai chegar lá”.

A prefeita agradeceu a presença dos fiéis ao final da celebração, e até “das jornalistas”. Profissional da área e ex-apresentadora da TV Tem, Suéllen acenou à reportagem do J2, identificando a presença da equipe no local.

Acredita no nosso trabalho?         
Precisamos do seu apoio para seguir firme.    
Contribua  a partir de 10 reais por mês. 

Comments

  1. Que decepção, não por causa disso, mais decepção mesmo é comigo por votar numa pessoa que eu ACHEI e ACREDITEI que poderia mudar algo… mais chéeeee

  2. A lavagem cerebral é um assunto muito interessante a se pesquisar. O Brasil é solo fértil pra esse mecanismo. A pandenia é o momento ideal. A palavra “certa”, no momento “ideal”, a música, a iluminação, e outros artifícios, podem soar como “salvação” para pessoas vulneráveis.

    1. Na disputa eleitoral em Bauru ,com a vitória da Prefeita , achei muito interessante e ressaltei nas redes sociais o avanço das mulheres na politica brasileira.E agora José ? Com certeza já começou encerrando sua carreira politica.Não se brinca com vidas! Logo receberá um tchau querida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.