Para que(m) são os direitos humanos?

Conheça o Plano Municipal de Direitos Humanos de Bauru, e para quê ele serve

Reportagem originalmente publicada em 15 de dezembro de 2017

 

O plano serve como um documento que vai orientar as políticas públicas no município (Foto: Lucas Mendes/JORNAL DOIS)

 
Por Lucas Mendes


“Bandido bom é bandido morto” ou “direitos dos manos” são exemplos de como o assunto sobre os direitos humanos geram conflitos e desentendimentos, mesmo nos dias de hoje.

Buscando discutir os direitos humanos e o papel do poder público, a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) promoveu uma audiência pública na Câmara Municipal de Bauru, no dia 8 de dezembro.

Aberta para a população, a reunião recolheu propostas para a revisão do Plano Estadual de Direitos Humanos, um documento com mais de 20 anos de existência que passará agora por uma revisão. Nessa audiência participaram representantes de sindicatos, militantes dos direitos humanos, funcionários públicos, pesquisadores e profissionais da área da saúde.

 

Audiência Pública para discutir o Plano Estadual de Direitos Humanos foi presidida pela deputada estadual Marcia Lia (PT) e contou com a realização da Comissão de Direitos Humanos da Alesp (Foto: Lucas Mendes/JORNAL DOIS)

Ponto de destaque da reunião foi a proposta de incluir no plano estadual um capítulo exclusivo para tratar da Saúde Mental. A sugestão vem carregada de simbolismo, uma vez que Bauru tem importância nacional na campanha da Luta Antimanicomial — o movimento de transformação e humanização dos serviços psiquiátricos.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), os direitos humanos são os direitos que pertencem a todos os seres humanos, independentemente de raça, sexo, nacionalidade, etnia, idioma, religião ou qualquer outra condição.

Eles incluem o direito à vida e à liberdade, à liberdade de opinião e de expressão, o direito ao trabalho e à educação, entre muitos outros.

 

Sala do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra (Foto: Reprodução/Jean-Marc Ferré/ONU)

Para orientar a defesa desse direitos, a ONU adotou em 1948 um documento oficial: a Declaração Universal dos Direitos Humanos, valendo para todos os países.

A cidade de Bauru também tem um documento desse tipo. Trata-se do Plano Municipal de Direitos Humanos, feito em 2010 e revisado em 2016. “Por mais ideológico que sejam os direitos humanos, não dá pra diferenciar. Se um cara tá passando fome não interessa se é PT, PSDB, ele tá passando fome”, explica Clodoaldo Meneguello Cardoso, presidente do Conselho Municipal de Direitos Humanos de Bauru, e responsável pela revisão do plano.

“A metodologia de dar o prato de comida pode ser mais de direita ou mais de esquerda”, diz ele.O plano de Bauru foi elaborado em 2010 e revisado em 2016

Confira a seguir uma entrevista exclusiva que Clodoaldo Cardoso concedeu ao Jornal Dois:

Pra quê serve esse Plano Municipal de Direitos Humanos?

O plano seria um elemento facilitador da organização. Seria uma orientação, até porque a vida é muito mais dinâmica do que um plano. Mas essa sistematização é importante.

Os direitos humanos são uma luta do oprimido. Embora sejam direitos humanos para todos, eles são uma luta do oprimido. Porque o opressor já tem seus direitos garantidos.

Então quando falam que “direitos humanos é pra bandido”, é pra bandido sim. É pra bandido pobre, porque o bandido rico já tem. Nós estamos numa sociedade que não tem visão do todo. Não tem a visão do coletivo e ao mesmo tempo toda demanda coletiva é jogada para o poder público.

Como começou esse processo de elaborar um plano?

Teve um momento em 2010, que quem coordenou esse processo de elaboração foi a comissão de direitos humanos da Câmara Municipal, recém instalada e com a presidência do Roque [Ferreira (PSOL), ex-vereador], além dos movimentos sociais organizados na época, e foi trabalhado nesse plano.

Porém ele não chegou a ter uma versão final e oficial. Ele ficou “meio oficial, meio engavetado”, e quando assumi a presidência do Conselho Municipal de Direitos Humanos em 2016 resolvi retomar esse processo, revisando e ampliando. E oficializamos isso ano passado, com lançamento no dia 1º de agosto.

 

Clodoaldo Cardoso, presidente do Conselho Municipal de Direitos Humanos de Bauru (Foto: Reprodução Larissa Zapata/Jornalismo Especializado)

Mas é sempre preciso revisar. Algumas questões podem ganhar força específica ao longo do tempo. Nesse plano atual, por exemplo, tem um capítulo sobre discriminação, mas envolvendo todo tipo de discriminação. Nesse caso, a questão do negro merece um destaque pelas características do Brasil e locais.

A ideia é sempre como colocar esse plano na agenda de discussão dos movimentos sociais. É isso que estamos estudando.

E como fazer as pessoas se apropriarem desse conhecimento, e passarem a exigir esses direitos?

Uma das ideias é fazer alguns encontros com movimentos sociais, em que haveria além da discussão um pouco de formação política a partir da temática dos direitos humanos. Isso tudo mediado pelo Conselho Municipal de Direitos Humanos.

Mas essa é apenas uma das maneiras. Esse plano poderia estar muito mais amplo se não fosse a questão da mídia. Tudo é bloqueado.

Por enquanto estamos pensando em conseguir através da Prefeitura uma coluna no Jornal da Cidade, para os conselhos municipais. Mas estamos naquela fase de amadurecimento dessa ideia e criação de uma metodologia para isso.

Falta conhecimento?

Sim, falta bastante. Uma outra coisa que falta é nas escolas. Já poderia ter um esquema de debates direitos humanos, mas a barreira está na Diretoria de Ensino.

Primeiro que o estado não tem um plano estadual de direitos humanos. O que se tem é um documento de 20 anos atrás que nós estamos tentando mudar.

Segundo que foi esse ano de 2017 que o estado começou a elaborar e vai soltar agora o plano de educação em direitos humanos. Não se tinha isso. A cidade de São Paulo, por exemplo, tem o seu plano municipal de educação em direitos humanos. Bauru também não tem um plano desses. E pra você ter uma ideia, hoje o único projeto permanente dentro da Secretaria de Educação de Bauru é o Núcleo de Educação em Direitos Humanos, que eu estou tocando voluntariamente há 9 anos.

Falando em educação, em qual idade é melhor começar a tratar desse assunto?

Aqui em Bauru nós criamos uma metodologia de trabalhar direitos humanos com crianças de dois a seis anos de idade. E já dá pra trabalhar com essa idade. No Brasil não tem essa experiência, e isso foi pensado aqui.

É importante trabalhar esses temas nessa idade. A criança ali vai sedimentar uma visão de mundo. Nós partimos do princípio de que ou ela vai ter uma visão de mundo plural ou unificada. A educação tradicional e a nossa cultura branca ocidental tem um parâmetro de universalidade. E quando você universaliza, você unifica.

A ideia primeira é a questão da diversidade. Cada idade tem uma prática que vai ampliar a percepção da diversidade.

 

Comments

  1. I have to express some thanks to the writer just for rescuing me from this particular challenge. After looking out through the the net and seeing tricks that were not productive, I assumed my life was well over. Existing without the presence of answers to the difficulties you have fixed as a result of this article is a crucial case, and the kind which might have negatively damaged my career if I hadn’t discovered your web page. The understanding and kindness in taking care of every aspect was important. I am not sure what I would have done if I had not discovered such a thing like this. I can also at this time relish my future. Thanks for your time so much for your high quality and amazing guide. I won’t think twice to suggest your blog to any person who wants and needs recommendations on this issue.

  2. I have to convey my love for your generosity supporting people who should have help with your study. Your very own dedication to getting the solution around turned out to be exceedingly valuable and has continually allowed employees like me to attain their ambitions. The helpful hints and tips implies a whole lot a person like me and even more to my colleagues. With thanks; from everyone of us.

  3. My husband and i got absolutely fulfilled that Raymond could finish up his investigations from the precious recommendations he gained from your own blog. It is now and again perplexing just to possibly be making a gift of information and facts which some other people could have been trying to sell. And now we already know we now have the writer to be grateful to because of that. These illustrations you’ve made, the easy site navigation, the relationships your site give support to create – it’s got mostly exceptional, and it is letting our son in addition to us believe that this theme is enjoyable, which is incredibly important. Many thanks for all the pieces!

  4. Thank you so much for giving everyone remarkably nice chance to read critical reviews from here. It can be very beneficial and as well , packed with fun for me and my office mates to search your website not less than 3 times per week to study the latest issues you will have. And of course, I’m also always astounded with the gorgeous principles you give. Certain two points in this article are honestly the very best we have all had.

  5. I simply wanted to make a brief word so as to say thanks to you for those remarkable tips you are placing here. My extensive internet lookup has at the end of the day been rewarded with excellent content to share with my contacts. I ‘d admit that most of us visitors are truly fortunate to be in a superb website with very many awesome professionals with interesting pointers. I feel quite blessed to have used your webpage and look forward to tons of more entertaining times reading here. Thank you once more for everything.

  6. I wish to convey my respect for your generosity for men and women that have the need for guidance on this area of interest. Your very own dedication to passing the solution all over was extraordinarily advantageous and has always made guys just like me to get to their targets. Your entire insightful guidelines signifies a great deal to me and still more to my office colleagues. With thanks; from all of us.

  7. I am glad for commenting to make you be aware of of the awesome discovery my princess went through reading the blog. She mastered lots of pieces, which included what it is like to possess an awesome coaching heart to make the mediocre ones just grasp selected complicated subject matter. You undoubtedly did more than people’s desires. I appreciate you for showing the invaluable, safe, educational and even fun thoughts on that topic to Janet.

  8. Thanks for all of the effort on this site. My mother really likes working on research and it’s really simple to grasp why. A lot of people know all about the powerful way you present effective guidance via this web site and in addition strongly encourage response from visitors about this article plus our simple princess is truly starting to learn a whole lot. Take advantage of the remaining portion of the year. You are conducting a wonderful job.

  9. I definitely wanted to jot down a brief remark so as to thank you for the marvelous guidelines you are giving out on this website. My extensive internet look up has finally been rewarded with good strategies to share with my company. I ‘d tell you that we visitors are unequivocally blessed to live in a fantastic network with very many marvellous professionals with great suggestions. I feel very much blessed to have seen the webpages and look forward to many more fabulous moments reading here. Thank you again for all the details.

  10. I together with my pals ended up taking note of the great helpful tips from the blog and then all of the sudden I got an awful suspicion I had not thanked the web site owner for those strategies. The men became so thrilled to read through them and already have certainly been using them. Appreciation for genuinely so helpful and then for obtaining this kind of fantastic themes millions of individuals are really eager to discover. My very own honest apologies for not expressing gratitude to earlier.

  11. A lot of thanks for all of your effort on this blog. My niece really loves setting aside time for research and it’s easy to see why. Many of us know all about the powerful way you provide invaluable strategies via the blog and foster response from some others on that situation while my child has always been starting to learn a lot. Take advantage of the remaining portion of the new year. You have been performing a good job.

  12. I simply wanted to appreciate you all over again. I do not know the things that I would’ve tried in the absence of the type of tactics discussed by you over my subject. Completely was a real fearsome difficulty in my view, nevertheless spending time with the very professional manner you resolved that made me to leap over fulfillment. I’m just thankful for the work and as well , wish you recognize what a great job you’re putting in teaching many others via your blog post. I am certain you have never got to know all of us.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.