Manifestantes acampam na Praça Portugal em protesto contra o corte de mais de 50 árvores do local

Praça está ocupada desde quinta-feira, 16 de setembro; membros da sociedade civil e movimentos sociais organizam a manifestação

Publicado em 17 de setembro de 2021

Por Joyce Rodrigues
Manifestantes ocupam a Praça Portugal, localizada no Jardim Estoril, desde a noite desta quinta-feira (16) em protesto contra o desmatamento de mais de 50 árvores do local, suprimidas pela prefeitura no início de setembro.
 
De acordo com os organizadores da ocupação “Levante Pelas Raízes”, os principais objetivos do movimento são a realização de uma audiência pública entre a sociedade civil e os órgãos regulamentadores de projetos ambientais da cidade, e a defesa da Lei do Cerrado, norma que protege os remanescentes do bioma no Estado de São Paulo e que corre o risco de ser flexibilizada por um projeto de lei proposto pela Valéria Bolsonaro (sem partido), deputada estadual, em março de 2021, considerado um retrocesso por ambientalistas.
 
Matheus Versati, membro do Coletivo Ação Libertária, um dos grupos presentes na ocupação, considera a questão ambiental como a “pauta do milênio”, e opina que hoje “existem mais ferramentas” para conectar a sociedade com as discussões em torno do meio-ambiente. “Estamos vivendo a maior crise climática da história e, se as pessoas não se engajarem agora nessa luta, não teremos futuro para discutir essas pautas”, declara o militante.
Na última terça-feira (14), o advogado Edilson Marciano entrou com uma ação popular na Justiça pedindo a paralisação das obras na praça “até que as devidas explicações sejam apresentadas” pela prefeita de Bauru Suéllen Rosim (Patriota). A ação tramita na 1º Vara da Fazenda Pública da cidade. Na noite de quinta-feira, o 4º Promotor de Justiça de Bauru, Luiz Eduardo Sciuli de Castro, deu um parecer favorável à paralisação das obras.
 
O processo continua em andamento e aguarda a decisão final da juíza da 1° Vara da Fazenda Pública de Bauru, Ana Lúcia Graça Lima Aiello. Na manhã desta sexta (17), as obras na praça Portugal estavam paralisadas.
 
Ainda nesta sexta, a ocupação organiza o “Sarau da Portugal”, com início às 20h, reunindo artistas e apoiadores do movimento para realizar intervenções artísticas e culturais no local. Os acampados também estão coletando doações de alimentos, itens reutilizáveis, barracas e cobertores.
Acredita no nosso trabalho?         
Precisamos do seu apoio para seguir firme.    
Contribua  a partir de 10 reais por mês. 

Comments

  1. bom dia, parabens pelo jornal.
    mas deveria ser feita um enquete (popular) sei que orden juducao e orden, masi isso nao e resao de certo ou errado, esse ate nao e a favor das arvores e sim por falta de pauta seria por parte dos “NANIFESTANTES”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.