Oficina de agrofloresta é realizada em horta comunitária no Manchester 

Moradores realizaram o plantio de mudas e sementes, enquanto crianças fizeram pinturas a partir da tinta de substâncias naturais

Publicado em 8 de julho de 2021

Por Joyce Rodrigues
“Agrofloresta” foi tema da última oficina realizada no bairro Parque Industrial Manchester nesta quarta-feira (7) pelo Coletivo Ação Libertária (CAL). Ministrada pelo agricultor José Roberto da Silva Júnior, a ação é parte de uma série de atividades que o coletivo vem realizando no assentamento, que hoje mantém uma horta coletiva. Uma atividade para crianças também foi organizada para que mães moradoras do assentamento pudessem participar da oficina.
 
Com 20 pessoas presentes na atividade, milho, feijão, abóbora, inhame e mandioca foram plantadas em canteiros mistos, assim como mudas de moringa oleífera – conhecida como árvore da vida.
 
Sob o conceito da “agricultura sintrópica”, em que materiais orgânicos disponíveis no meio ambiente são preservados e utilizados no cultivo para manutenção do espaço de plantio, foram utilizados adubo de folhas de árvores, cobertura vegetal e minhocas presentes na terra na horta comunitária do Manchester.
 
Para José Roberto, o assentamento tem aplicado com facilidade os conceitos apresentados nas oficinas. “Um mês antes o pessoal não conhecia esse método. Hoje a gente já tá avançando num conceito bem elaborado de agrofloresta”, algo que segundo ele, não é tão simples de ser aplicado.
 
A oficina também teve como objetivo a conscientização para o espaço geográfico do assentamento, que se localiza numa Área de Proteção Ambiental (AP). Para o agricultor José Roberto, a moradia e a preservação do meio-ambiente devem “andar juntos”.
 
A atividade com crianças de 4 a 12 anos foi conduzida pela professora Mayara Goffi Gomes, com a elaboração de desenhos e pinturas com tintas feitas com substâncias naturais, como cúrcuma, beterraba e carvão. Na ocasião, Mayara também conversou com as crianças sobre pandemia e o motivo de as escolas estarem paralisadas.
 
“Tivemos uma percepção muito positiva das crianças, em uma conversa sobre o momento em que estamos vivendo na pandemia. Vê-los ali com tanta sabedoria me fez ter a certeza de dias melhores”, declarou.
 
O Coletivo Ação Libertária está em campanha por doações de insumos para as hortas, agasalhos e alimentos. Para contribuir, entre em contato com o projeto.
Acredita no nosso trabalho?         
Precisamos do seu apoio para seguir firme.    
Contribua  a partir de 10 reais por mês. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.