O maior assessor do prefeito

Ao longo dos últimos anos, Carlão do Gás (DEM) foi recordista no envio de indicações ao prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB), deixando, em segundo plano, a criação de leis e convocação de audiências públicas

Publicado em 09 de novembro de 2020

Arte com foto do Carlão do Gás.
Veterano da Câmara, indicações pontuais para o prefeito foram a marca de seu último mandato (Ilustração: Laura Poli - Foto do vereador: Pedro Romualdo)
Por Egberto Santana

Francisco Carlos de Goes prefere ser chamado de Carlão do Gás (DEM). Ele está no segundo mandato como titular na Câmara Municipal de Bauru. Antes disso, teve contato com o cargo entre 2009 e 2012 como suplente. Nas últimas eleições, o vereador foi eleito com 1.655 votos, pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Com a janela eleitoral deste ano, ele filiou-se ao Democratas (DEM). Em sua carreira política passou por mais dois partidos: Partido da República (PR) e  Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Neste mandato, Carlão protocolou apenas um Projeto de Lei e convocou apenas uma audiência pública. Os números  foram menores em comparação a sua gestão anterior (2013-2016), que teve 5 projetos aprovados e 3 audiências convocadas. 

O dado que chama atenção, ao longo deste mandato, é o de indicação: 797 pedidos enviados, até setembro de 2020. Cada vereador tem direito a enviar 5 indicações por semana. Algumas das ações pontuais requisitadas foram recapeamento e asfaltamento de diversas ruas da cidade, implantação de iluminação pública, ecopontos, academias ao ar livre, calçadas, rampas, construção de calçadas, vestiários e campo de futebol.

Quanto a essas demandas pontuais de infraestrutura da cidade, o vereador avaliou que  o poder público joga dinheiro fora com operações tapa-buraco em vias que apenas o recapeamento resolveria o problema. Nesse cenário, com a apresentação do PL 220/2019 pelo Executivo – projeto que propõe a criação do Instituto de Planejamento e Desenvolvimento de Bauru – Carlão mostrou-se favorável. Caso aprovado, a função do novo instituto será arquitetar uma cidade planejada.

Arte com os números da atuação política do vereador Carlão do Gás na Câmara
Painel com todos os dados numéricos do mandato do vereador Carlão do Gás. Dados coletados até dia 16 de outubro de 2020. (Ilustração: Laura Poli e Natália Santos | Foto do vereadora: Câmara Municipal de Bauru)
Menos que o mínimo

A única audiência pública convocada pelo vereador foi em setembro de 2019 com o Coronel Meira (PSL) para discutir a coleta seletiva no município e a implantação de ecopontos. Na audiência, o vereador disse que o pequeno número de ecopontos – apenas nove em Bauru – dificulta o descarte adequado de resíduos sólidos pelos moradores. 

Mesmo ocupando um cargo no Poder Legislativo, Carlão teve apenas um Projeto de Lei protocolado e aprovado, também em parceria com outro colega parlamentar, Sandro Bussola (PSD). O PL 10/2019 adiciona às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) na legislação que dispõe sobre o direito de pacientes internados em hospitais receberem assistência religiosa de qualquer crença entre os horários das 10 às 22 horas. Antes, o texto beneficiava apenas hospitais e clínicas.

De 12 moções protocoladas, o vereador dedicou quatro à área de saúde. Dessas, duas foram de apelo, em anos diferentes, enviadas ao governador de São Paulo para agilizar a reforma do Hospital Manoel de Abreu. As obras do hospital começaram apenas no ano de 2020. 

No dia 16 de março de 2020, em sessão da câmara, Carlão usou seu espaço no plenário para dizer que o coronavírus era uma loucura. O vereador comparou a gravidade do vírus com picadas de cobra e uso de maconha. Cinco dias depois, Bauru entrava em estado de emergência. De acordo com o Portal de Transparência da Câmara, durante esses quatro anos Carlão do Gás recebeu R$ 280 mil pelo seu cargo público (até ao mês de setembro). 

A reportagem do Jornal Dois tentou contatos com o vereador e seu gabinete durante 3 semanas, mas não obteve resposta até o fim desta reportagem. E-mails e mensagens por WhatsApp também foram enviadas.

Pílulas do Poder é o Trabalho de Conclusão de Curso de Jornalismo de Egberto Santana e Natália Santos na Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp, com orientação da Profª. Drª. Suely Maciel e tem o apoio e a revisão da equipe do Jornal Dois. 

Acredita no nosso trabalho?         
Precisamos do seu apoio para seguir firme.    
Contribua  a partir de 10 reais por mês. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.