Artista pede apoio em vídeo. Sem emprego, racismo e transfobia dificultam a busca

A artista Agnes Barbosa fez 47 entrevistas de emprego sem contratação. Após repercussão de vídeo, questiona: “por que só agora?”

Publicado em 30 de junho de 2021

Foto de Henrique Nakandakare para o Jornal Dois, no Prêmio da Cultura Popular Bauruense realizado dezembro de 2019, no qual Agnes foi vencedora das categorias "No corre LGBTQIA+" e "Melhor Performance". O evento foi uma realização do J2, Fumacê e RPretas.
Redação
A rapper Agnes Barbosa, conhecida pelo nome artístico de Santina, publicou em suas redes sociais um pedido de apoio: depois de 47 entrevistas ela segue na busca por emprego e convive com dificuldades financeiras em Bauru. O racismo e a transfobia, aponta Santina, são fatores que impactam na não contratação. Essa é a realidade da população transgênera no Brasil, que enfrenta a baixa empregabilidade além de viver no país que mais mata pessoas transexuais (Observatório de Assassinatos Trans, 2020).
 
Depois da publicação do vídeo, Agnes relata ao J2 que recebeu diversas mensagens de solidariedade. “Mas por que só agora?”, questionou. Com o EP Kachorras Ariskas lançado em janeiro de 2021, a rapper destaca a necessidade constante de suporte à arte autoral para que pessoas como ela, uma mulher negra e trans, possam continuar vivas.
 
“Tem muitas outras trans que eu sei que se apoiam em mim. E saber que eu tô viva é importante para que elas continuem vivas também”, concluiu.
 

Para apoiar Santina, você pode divulgar este material para empresas que estão com vagas de emprego abertas. A artista também está recebendo doações no pix: 471.092.908-40.

Acredita no nosso trabalho?         
Precisamos do seu apoio para seguir firme.    
Contribua  a partir de 10 reais por mês. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.