Após manifestação de funcionários, Paschoalotto começa demissão em massa por telefone

Mais de 120 funcionários foram desligados até o começo da tarde desta terça-feira (24). Empresa alega “corte de gastos” devido a quarentena forçada pelo Prefeito Gazzetta para conter a expansão do novo coronavírus.

Reportagem publicada em 24 de março de 2020

Colagem: Letícia Sartori/ Jornal Dois sob Nenad Bacanovic, Sebástien Bourdon, Honoré Daumier, John Heartfield e Divulgação.
Por Lorenzo Santiago

Depois da manifestação de funcionários realizada na semana passada, a Paschoalotto começou nesta terça-feira (24) uma série de demissões justificadas como um “corte de gastos”. Alegando não ter condições financeiras de sustentar os mais de 10.500 funcionários durante a quarentena decretada pelo Governo Estadual, a empresa de call center começou as demissões em massa tanto por telefone, quanto presencialmente para quem ainda foi trabalhar no começo da semana. Segundo os funcionários, a grande maioria das pessoas desligadas estava na manifestação do último dia 20.

Os protestos ocorreram porque os funcionários não sentiam segurança com as medidas adotadas pela empresa em um momento de expansão do coronavírus em todo o Brasil. Muita gente trabalhando no mesmo espaço, poucos equipamentos de prevenção (como álcool em gel e máscaras) e a falta de mudanças na escala dos funcionários eram os principais argumentos. 4 dias depois do ato, o setor administrativo da Paschoalotto começou a ligar para uma série de trabalhadores informando que “não precisam mais dos serviços prestados”. 

Ainda na sexta, o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB) publicou um decreto que determina Situação de Emergência na cidade. Com 57 casos suspeitos e nenhum confirmado, o decreto ordenava o fechamento das empresas de call center a partir do dia 25 de março. Essa situação foi a brecha encontrada pela Paschoalotto para começar os desligamentos. 

Até o começo da tarde desta terça, mais de 120 funcionários haviam sido desligados. Grande parte estava na manifestação de sexta: “O pessoal que foi na manifestação foi mandado embora. O pessoal que não tava foi em uma quantidade muito menor. Até agora, eu só vi 2 pessoas que não estavam na manifestação serem mandados embora” disse uma funcionária que não quis se identificar, esteve na manifestação e foi desligada.

Em contato com a reportagem do Jornal Dois, a Paschoalotto informou que as demissões “não tem nenhuma correlação com a manifestação dos funcionários”. A empresa disse também que a forma que serão feitos os desligamentos ainda está em discussão:

“A gente não sabe quantos desligamentos vão acontecer porque eles ainda estão acontecendo. Até o momento a gente ainda está em discussão com todos os meios, o jurídico, a Prefeitura, analisando as Medidas Provisórias do Governo Federal para ver o que será feito nas rescisões”

Colagem: Letícia Sartori/Jornal Dois sob Henry Peter Glass, Walker Evans e Nenad Bacanovic

Em meio a pandemia do coronavírus, alguns funcionários foram convocados para trabalhar nesta terça-feira, mesmo quem mora em outras cidades. Os ônibus intermunicipais estão circulando em horários reduzidos e, segundo alguns trabalhadores que estiveram na Paschoalotto hoje (24), “o número de faltas foi muito maior”.

A empresa alega que os cortes seriam necessários dada a gravidade da situação e que ainda não foi pensada uma forma de repor os cargos quando a situação voltar ao normal. 

As demissões em massa deixam muitos funcionários sem emprego garantido em um momento de tensão. Até o final da tarde desta terça-feira (24), o Ministério da Saúde atualizou o número de casos. Já são 2.201 infectados e 46 mortes no Brasil. 

Como forma de garantir que as empresas não quebrem, o Governo Federal publicou nesta segunda-feira (23) uma Medida Provisória que permitia a suspensão do contrato de trabalho por 4 meses sem pagamento de salário. A medida foi contestada por diversos setores e revogada no começo da noite. A justificativa do ministro Paulo Guedes foi que a MP teve “erros de digitação no que diz respeito a quebra dos contratos trabalhistas”.

Comments

    1. Nao so ele manda em Bauru Jad (Confianca) klail Obeid /Shaybe estas familias travam Bauru nao deicha industrias estabelecerem em Bauru entre na justica trabalhista contra eles vc nao ganha nunca. Infelizmente Bauru cidade do milao de salrio Pascholotto/Mercado/Shooping/Comercio nao tem nada aqui a nao ser uma cidade travada passa prefeito e ninguem faz nada ainda o povo elege um como deputado vai se bureo assim la longe

  1. Estranho, esse dono da Paschoalotto não obedece ordens, não se preocupa com vidas, só sabe sugar, um emprego insalubre, mal pago, e totalmente materialista.

      1. Por favor, nao caia nessa!!!
        Isso nao existe… sou advogado e eu msm ja processei empresas que trabalhei e isso nao me prejudiquei em nada!!

        Isso é lenda p desestimular o trabalhador de processar a empresa!!!

        1. Não existe lista, oque existe é consulta a empresas onde já se trabalhou, quando se pergunta sobre a pessoa e o RH diz: “não posso passar informação” já era…!

  2. Porque o FDP do Bolsonaro não faz igual ao Maduro Presidente da Venezuela, ele vai pagar o salário de todos os trabalhadores e o Bolsonaro fodendo com os trabalhadores e as empresas, esse Governo não vai dar ajuda para ninguém.

    1. Para de ser idiota , tá querendo dizer que o vírus é culpa do Presente , ele está fazendo de tudo pra voltar o normal , pra gerar fechamento de empresa etc..

    2. Com q dinheiro q o maduro vai pagar salário idiota se a Venezuela tá quebra

      A e o salário la e 15 reais aí fica fácil cambada de esquerda imbecil deve comer merda pelo tanto de merda q fala

    3. Kkkk essa e boa , o povo lá tá morrendo de fome pq não tem condições nenhuma lá , agora vem com esse conto de fadas de que vai pagar salários kkkkkk acorda irmão

  3. O Próprio Presidente a República quer que o Comércio e Escolas voltem a funcionar, as Empresas não tem nenhum subsídio do Governo a não ser Empréstimo e o Trabalhador o Governo queria 4 meses sem salários, acredito que o melhor a fazer é dar Férias as Gestantes, Idosos, Pais e Mães que não tem aonde deixar os filhos, Doentes Crônicos e fazer um Contingenciamento, reduzir 50% ou fazer escala, essas empresas iram demitir mesmo, e a Reforma Trabalhista retirou o direito dos Sindicatos de negociarem as demissões em massa, estamos entre a cruz e a espada.

  4. Quem está reclamando e querendo ficar em casa ou está em pânico induzido pela imprensa ou é comunista e se acha no direito de ser bancado pelas empresas e pelo estado. Agora é assim, vagabundos são sempre dispensados primeiro.

    1. Gostei, concordo inteiramente com você. acabou prós mamadores e vagabundos que querem ser sustentados pelos outros. Acham que tem de receber sem fazer nada e que as coisas caem do céu, pra esses vão para cuba, Venezuela pois são a cara deles. Empreender não. É fácil.

      1. Eh! Esses caras que ficam 30 anos como deputado e não aprova projeto nenhum só mamando nas tetas do estado, bota família toda, faz cabide de funcionários fantasmas, eh foda msm, vagabundo não trabalha e soh mama nas tetas do estado por 30 qnos, aí depois vai querer brincar de ser presidente e soh faz cagada atrás de cagada! Esses vagabundos mamadores

  5. Muitos dizem que afunde. Imagina todos esses funcionarios na rua. Bauru nao tem demanda para tantos . Misericórdia cada coisa que falam sem pensar.

  6. Quando o Bolsonaro propôs 4 meses afastados ganhando 1salario mínimo, mas com emprego garantido, os esquerdalhas fizeram pressão e o governo revogou.
    Agora ficam chorando.
    O problema do brasileiro é não ler, lêem o título e não analisam o resto.

    1. Kkkkkk o governo propôs os 4 meses SEM salário, não aguentou a falta de aprovação de vários setores e voltou atrás alegando ter sido um erro de digitação. Essa postura que você descreveu combina com os direitalhas (muito bem representados pelo sr. Presidente) e não com os esquerdalhas, já que vocês fazem questão de falar em posição política .

    1. Induzidos? O sindicato apenas deu voz às preocupações que já estavam em pauta. Esse papel deveria ser dos nossos representantes, mas infelizmente o povo, a massa, o pobre só é lembrado em época de eleição. No resto do tempo os “políticos” só sabem mesmo priorizar a vontade dos poderosos

  7. O problema da Paschoalotto é que os funcionários são todos esquerdo patas, nutelas e cheio de mimimi, muitos é primeiro emprego e não dão valor a empresa, se cagar mais grosso já choram

    1. O problema mesmo é gente discriminatória que nem você que quer colocar lado político decidido em uma decisão que nada tem a ver com isso. A maioria tem o primeiro emprego ali e não valorizam porque são jovens e não tem maturidade trabalhista, simples assim.

      Direita e esquerda ambas fodem o Brasil de jeitos diferentes. Mas discutir com bozo fanático ( principalmente imbecil que acha que quem é contra o Bozo tem que ser obrigatóriamente mortadela) é impossível, então não vou perder mais meu tempo.

    2. E agora graças à ausência dos “esquerdo patas” mimizentos a empresa alega não conseguir lidar financeiramente com a crise. Se esses são o problema da paschoalotto, o que pensar de alguém que chama de mimimi a preocupação com uma questão mundial com fatos, evidências e pronunciamento da OMS? Pense antes de generalizar um grupo e evite passar vergonha com comentários infundados. Abraço!

      1. A questão é simples:
        A empresa presta serviços, recebe de seus clientes e paga os salários dos funcionários.
        Se uma empresa não pode prestar seus serviços, não receberá de seus clientes, não recebendo não terão recursos para pagar seus funcionários, logo, terão que fazer o que para se manter aberta?

        1. Não precisa fazer nada. Pasqualoto é a empresa da família mais rica da cidade, riqueza essa que é fruto da exploração de todos esses trabalhadores que se matam de trabalhar por um salário mínimo, enquanto, pasmem, a empresa faz fortuna com lobby empresarial e desvio de dinheiro. Você usar esse argumento pra um comércio pequeno eu até posso entender, mas pra uma empresa do tamanho da Pasqualoto é piada.
          Além disso, não precisa ser muito inteligente pra saber que custear uma recisão contratual sai mais caro do que pagar o salário dos funcionários. Isso tem claramente um viés político de repressão.

          1. Certamente! Não tem lógica o que fizeram. Só faz sentido pensar em repressão, principalmente após o prefeito voltar atrás da decisão de paralisação! Lamentável.

      2. Que coisa , disse que não ta falando de política.
        Mas em cada mensagem joga uma seta maligna pra falar mal de esquerdista.
        Você ta blefando. Com certeza deve ta sendo pago pra dar esses comentários de capitalista.
        Deixa de ser otário.

    3. o que uma coisa tem a ver com a outra? meu deus quanto absurdo! não é porque uma pessoa pensa diferentemente de ti que ela não tem direitos de se alimentar, se vestir e ter um teto para viver. pessoas com o pensamento igual ao seu são extremamente ignorantes e repugnantes, nojo.

  8. A falta de informação da parte deles é que deixou uma grande parte dos funcionários desesperados. As medidas de prevenção só foram tomadas no prédio onde eu trabalhava depois de muita reclamação da nossa parte! Eles não tiveram nenhum pouco de empatia com os operadores e é muito fácil trabalhar em uma mesa individual! Existem muitos casos suspeitos acobertados pra que todos continuassem a trabalhar. Só defende a empresa, quem se rende a lavagem cerebral deles!

  9. Me desculpem os críticos e sei das retaliações…mas não vejo falta de álcool em gel na empresa não, vejo até em excesso, pois até nos banheiros existem borrifadores com álcool 70% o que acontece que a grande maioria eram pessoas que já estavam descontentes com o emprego, mesmo ele sendo primeiro emprego e tenho a convicção de que alguns mais velhos já não aguentavam mais por não saírem da mesmice (pelas vagas de outras áreas serem pedidas ensino superior) e devido a acomodação não saiam do mesmo cargo…conheci pessoas que estão a mais de 10 anos como operador acomodados em ser operador…o que não cabe e a histeria em meio a uma empresa que vem prestando contas aos seus CI’s como somos chamados de uma empresa que não está nem aí com seus funcionários…

  10. Muitas mentiras da parte dos funcionários, a grande questão que os insatisfeitos optou em fazer manifestação, apenas 2 prédios .
    Foram atrás do barulho de quem tem seus salários e cargos púbicos garantidos achando que nada seria feito.

  11. Falta de compromisso esse empresário milionário na cidade de Bauru. Aproveita o momento inoportuno, pra mandar jovens em seu primeiro emprego, nessa cidade que carece de empregos.Lamentavel!

    1. Mas quem deu estes empregos a estes jovens? Momento inoportuno? Como as empresas pagarão salários se estão impedidas de prestar os serviços e não terão recursos para pagar os salários? Fácil falar, difícil é administrar uma situação como esta.

      1. Não dá para torcer contra a empresa, mas isso é culpa dos Governos que em 2 meses não conseguiram deter a Epidemia, mas tem que ter contigenciamento e não parar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.