​Editora bauruense abre chamada para mulheres escritoras​

Antologia de Mulheres reunirá textos de autoras da cidade sobre o que é ser mulher e universos femininos; projeto seleciona originais até o dia 30 de abril

Publicado em 5 de abril de 2020

Projeto selecionará textos de até 20 escritoras de Bauru (Arte: Sarah Vitoria/JornalDois)
Por Bibiana Garrido

Sete em cada dez livros publicados por editoras brasileiras entre 1965 e 2014 foram escritos por homens – 90% deles brancos e metade moradores do eixo Rio-São Paulo. 

É o que diz uma pesquisa do Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea da Universidade de Brasília (UnB). 

Não sobrou espaço para as mulheres autoras – e se elas chegam ao mercado, às prateleiras das livrarias, suas obras custam metade do preço que teriam se fossem escritas por homens. 

E quando mulheres são inseridas nas narrativas literárias, são descritas pelo sexismo na linguagem. “Bonita”, “encantadora”, “sexy”, “solteira, “fértil” e “sofisticada” são os adjetivos mais usados – por homens – para descrever personagens mulheres em suas histórias por mais de 100 anos. “Justo”, “pacífico”, “racional”, “honrado”, “brutal” e “corajoso” são as palavras que descrevem personagens homens.

Nas histórias dos 258 livros brasileiros analisados, pesquisadoras da UnB encontraram apenas três protagonistas negras. 

Depois de usarem nomes masculinos como pseudônimos para poderem publicar, as mulheres passaram a ocupar seu lugar por si próprias na literatura. Cresceram os clubes de leitura de livros escritos por elas e autoras de séculos passados são agora reconhecidas.

É nesse contexto que uma iniciativa bauruense pretende reescrever as páginas da presença feminina na literatura brasileira. A Antologia de Mulheres será publicada pela editora independente Mireveja e pretende reunir contos e crônicas escritas por mulheres da cidade

O tema proposto para os textos é: universos femininos e o que é ser mulher nos dias de hoje. Cerca de 15 a 20 textos de até 20 autoras serão selecionados para integrar a obra. Podem participar mulheres acima de 18 anos, iniciantes ou experientes na escrita. 

A chamada da editoria Mireveja está aberta até o dia 30 de abril e a inscrição é gratuita.

Para se inscrever basta enviar o texto em formato word para Patrícia Lima, que é coordenadora e organizadora do projeto – veja no final da matéria telefone e e-mail para contato. 

“Estamos buscando escritoras da maior quantidade possível de pluralidade”, aspira Patrícia. Graduada em Letras, ela também é idealizadora do grupo de leitura Cevadas Literárias e escritora. “Temos uma abertura grande para mulheres negras, periféricas, trans e lésbicas, que não costumam ter tanta visibilidade na literatura e no mercado editorial, estamos abertos a todas as mulheres”.

Os textos devem ser originais e não precisam ser inéditos – isto é, se você tiver postado em suas mídias sociais, declamado em algum slam ou sarau, não tem problema. A única precaução serve para autoras que pretendem inscrever um mesmo texto já publicado por outra editora: devem ter posse de seus direitos autorais para participar da antologia. 

Todas as produções inscritas serão analisadas de acordo com critérios de qualidade literária por Patrícia e João Correia Filho – editor da Mireveja e responsável pela publicação. “Precisamos estar sempre atentos aos temas emergentes, isso é importante para lançar uma obra no mundo. Essa voz das mulheres está mais do que clara, e é mais do que necessária nesse momento”, avalia ele. 

Para a coordenadora Patrícia, a antologia fortalece as mulheres e a cidade de Bauru. “É fundamental trazer mulheres falado sobre temas relevantes nesse momento histórico que a gente vive, que é de extremo conservadorismo”, analisa. “Falando sobre as mulheres e seus recortes na literatura, sobre feminicídio, machismo, racismo, transfobia, lesbofobia, LGBTfobia em geral e todos essas questões urgentes”.

O lançamento do livro está previsto para o segundo semestre de 2020, mas a pandemia do coronavírus fez com que o cronograma da antologia fosse alterado. A publicação ficará para o ano que vem. 

Segundo João, o mercado editorial para editoras pequenas e independentes, como a Mireveja, precisa buscar modelos de negócio – ainda mais no meio de uma crise global. “Como sobreviver a tantas mudanças?”, questiona o editor. “A antologia entra nesse modelo porque tem muita gente envolvida e isso potencializa a ponto de viabilizar que saia um livro bacana, que reverbera e que é um produto de verdade feito de forma coletiva”. 

Em vista de se adaptar ao momento, a editora Mireveja lançará ainda esse ano um e-book – uma edição digital da Antologia de Mulheres. No lançamento oficial em 2021, cada autora participante receberá dois exemplares do livro impresso.

As autoras não terão nenhum custo com a publicação e não pagarão nada para que seus textos estejam no livro. Tampouco haverá obrigatoriedade de compra de exemplares após o lançamento. 

Envie seu texto


Patrícia Lima
E-mail: letterstopaty@hotmail.com
Telefone e WhatsApp: (14) 98806-6415

Acredita no nosso trabalho?         
Precisamos do seu apoio para seguir firme.    
Contribua  a partir de 10 reais por mês. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.